Como funciona a ressignificação de crenças?

Como funciona a ressignificação de crenças?

Você consegue imaginar como uma crença pode interferir na sua vida? Você sabia que a grande maioria das nossas crenças age de forma silenciosa? Não nos damos conta delas, apenas seguimos algumas “verdades” nas quais acreditamos, sem perceber o quanto elas influenciam nossas vidas. Mas é possível saber quais são essas crenças e mudar esse mindset para melhorar nossas vidas? Sim. Vamos falar sobre isso!

A grande maioria das nossas crenças está gravada em nosso inconsciente. Por isso, costumamos comparar nosso sistema de crenças com um iceberg (assim como nossas memórias) – o que vemos ou percebemos é somente uma parte muito pequena. A maioria das crenças, memórias e traumas está na profundidade, escondida, e, ou a gente faz um trabalho de ir atrás e descobrir quais são, ou seremos guiados por elas a vida toda, sem perceber.

O termo mindset, muito utilizado em inglês, mas que significa mentalidade, é, na verdade, nossa predisposição psicológica para determinados pensamentos e padrões de comportamento. É em nossa mentalidade, de forma silenciosa, que nosso sistema de crenças age. Quando percebemos, estamos agindo novamente da mesma maneira, guiados pela nossa forma de ver a vida, nossa mentalidade.

O grande problema reside na questão da construção desse mindset. Se ele é feito de traumas, inseguranças, preconceitos, vitimismo, são esses conceitos que vão nortear as nossas decisões e ações. Por isso, é tão importante se conhecer, entender que pensamentos ou crenças estão bloqueando nossas vidas e virar a chave.

Um simples passo pode mudar uma vida inteira!

Quando você se propõe a reconhecer a sua forma de pensar sobre o mundo e entender se está sendo seu melhor amigo ou seu pior inimigo, pode fazer grandes transformações na sua vida. O que eu quero dizer com isso? Que, dependendo das nossas crenças, jogamos contra ou a favor! Podemos nos boicotar, sem perceber. E é por isso que ressignificar crenças é tão importante.

Uma das melhores formas de identificar e modificar nossas crenças limitantes é o PSYCH-K®, um processo que ajuda a melhorar a autoestima, os relacionamentos, o desempenho no trabalho e inclusive a saúde física. O criador do PSYCH-K®, Robert Williams, afirma que é possível, por intermédio de um teste muscular, acessar a mente “superconsciente” e verificar se as metas geradas são seguras e apropriadas e aí intervir, levando em consideração até mesmo o aspecto espiritual, para transformar as crenças que impedem as metas de serem cumpridas.

O processo transcende os métodos padrão de visualização, afirmações, força de vontade e pensamento positivo, facilitando a mudança no nível do subconsciente, no qual opera pelo menos 95% de nossa consciência. É especialmente eficaz nas áreas de mudança de comportamentos e hábitos, conquista de bem-estar e redução do estresse.

Como o PSYCH-K® funciona

O processo envolve técnicas rápidas, diretas e facilmente verificáveis. A interação mente-corpo é conseguida a partir dos testes musculares da Cinesiologia aplicada que é usada para a comunicação com a mente subconsciente, acessando-se, assim, “arquivos” limitadores que estão programados.

Também utiliza técnicas de integração dos hemisférios cerebrais direito e esquerdo, por meio de posturas especificas e movimentos do corpo que irão causar descargas neuronais nos dois hemisférios cerebrais, resultando num estado de “cérebro-integral”, mais suscetível a efetuar mudanças rápidas e de longa duração em programas subconscientes obsoletos.

Indicações do PSYCH-K®:• Auto-estima• Poder Pessoal• Relacionamentos• Prosperidade• Dor e Perdas• Espiritualidade• Saúde

Quer saber m ais? Entre em contato conosco e agende uma consulta!!!

O caminho da liberdade

O caminho da liberdade

O que é ser livre, você sabe nos dizer? Nós respondemos esse questionamento com a certeza de que ser livre é não ser escravo de memórias e crenças limitantes. O caminho da liberdade, portanto, é se conhecer!

Saber qual o caminho da verdadeira liberdade, vale quanto para você? Mas, e o que é ser livre? Você tem essa resposta? Talvez você acredite que ser livre é não ter ninguém a quem dever satisfações, por exemplo. Talvez ser solteiro. Ou, então, não precisar trabalhar. Ser rico para viajar o mundo. Não precisar ter uma casa para cuidar. Talvez seja não ter nenhuma religião, não seguir uma filosofia que te diga o que é certo ou não fazer. A palavra LIBERDADE pode ter muitos significados. Então, vamos falar aqui sobre o que nós acreditamos que é ser livre. Mesmo se estivermos em uma condição em que nada nos prende, nem família, nem cônjuge, nem trabalho ou patrão, ainda assim podemos ser prisioneiros, sentirmos o peso de estarmos condicionados a seguir por determinado caminho simplesmente porque temos crenças e bloqueios desconhecidos da nossa mente consciente. Pense um pouco e responda: todas as suas decisões diárias são baseadas em fatos? Para todas elas você tem uma explicação real e plausível? Ou você se pega, muitas vezes, pensando nos reais motivos pelos quais agiu de uma determinada forma, sem ter respostas? Pois nós apostamos que muitas vezes, você age e não sabe explicar o porquê. E acontece que o motivo real está muito bem guardado, traduzido por memórias traumáticas que foram gravadas nas células do nosso corpo e não na mente consciente. Ou então é traduzido por uma crença que você não sabe de onde veio. Como aquela que diz que se você não sofrer, nunca será feliz. Quer contradição maior do que essa? Pois essa e outras crenças que são chamadas limitantes, estão atuando constantemente em nossas vidas, de forma silenciosa. E elas são chamadas limitantes, exatamente porque elas tiram a nossa liberdade de pensar no fato sem informações pré-concebidas (e que muitas vezes não sabemos de onde vem) e tomar nossas próprias decisões. Elas limitam o nosso potencial!

Mas, então, qual o caminho da liberdade?

Conhece a ti mesmo, já dizia Sócrates. Por que essa não virou uma crença que nos conduza à liberdade, não conseguimos explicar. O ser humano tem uma certa tendência a “comprar” mais ideias limitantes do que libertadoras. Mas a saída é conhecer quais são essas crenças, saber o que nos impede de ser feliz, os motivos pelos quais tomamos as nossas decisões, ou seguimos atraindo situações semelhantes, que nos causam sofrimento e dor. Quando entendemos, paramos de sofrer. Essa é a uma das maiores verdades do mundo. Sem conhecimento, somos feito crianças perdidas da mãe, não sabemos para onde olhar, a quem atender, em que confiar. O conhecimento nos dá alento e nos permite escolher de forma mais assertiva, condizente com nossos valores, de forma LIVRE. Só entender o que nos limita, podemos abrir a porta da gaiola que nos aprisiona. Em 2019, você vai escolher ser livre ou vai continuar preso a velhos padrões?

Quando a gente já tentou tudo que podia (ou achava que podia)

Quando a gente já tentou tudo que podia (ou achava que podia)

Sabe quando parece que a gente já tentou tudo que podia para ser feliz? Pode ser que isso seja apenas uma ilusão e que você não esteja usando todo o seu potencial. Como saber? Tem, sim, um jeito de descobrir.

Quando a gente já tentou tudo que podia (ou achava que podia) e não consegue atingir nossos objetivos ou mesmo ser feliz, é preciso parar para pensar: será que estou mesmo usando todo o meu potencial? Será que estou fazendo as escolhas certas, entendendo os caminhos que estão abertos para mim, usando meus talentos da maneira mais satisfatória? Quando falamos em autoconhecimento, estamos sempre nos referindo ao reconhecimento das nossas verdades e desejos, mas também de nossas memórias traumáticas e de nossas crenças limitantes. Em maior ou menor quantidade, todos os temos. Será que você sabe o que limita seus sonhos? Entender a si mesmo vai muito mais além do que a nossa capacidade de organizar os pensamentos pode supor. Você lembra o que deseja ser quando era criança? Isso fala muito sobre você e suas inclinações e talentos. Quando foi que eles se perderam? Talvez você não tenha essa informação de forma consciente. Mas, acredite, a resposta está aí, em algum lugar da sua memória ou de seu corpo.

Quando eu sei que já tentei tudo que podia?

Essa pergunta, na verdade, não tem uma resposta certa. Nem poderia. Estamos sempre em plena evolução e descobrindo novas possibilidades, certo? Mas, se você está insatisfeito com sua vida, é um sinal de que algo precisa ser mudado e é esse o estopim para entender onde estão os novos caminhos. Nessa busca do que faz sentido pra você é que podem surgir os empecilhos que estão ofuscando sua melhor versão. Quem busca saúde precisa ter em mente que ser saudável não é apenas estar em dia com vitaminas, ritmo cardíaco, pressão arterial. Saúde e alegria caminham juntas. Ou seja, parte de ser saudável é ter os seus desejos mais reconhecidos e um caminho de empreendimento pessoal sendo estabelecido. Quem busca sua verdade tem grandes chances de encontrá-la. Você já tentou de tudo? Tem certeza? Quando vai começar a sua jornada de sucesso? Se precisar e quiser uma ajuda, nós estamos aqui. Venha descobrir se há memórias traumáticas ou crenças limitando seu caminho. Agende seu horário.

Microfisioterapia para começar 2019 com o pé direito

Microfisioterapia para começar 2019 com o pé direito

Chegou a hora de decidir como vai ser seu novo ano. Repleto de saúde e realizações ou vivendo a mesma roda de expectativas frustradas e crenças limitantes? Tome uma atitude para mudar sua realidade para melhor.

Nós sugerimos que você experimente uma sessão de Microfisioterapia para começar 2019 com o pé direito. Sim, a decisão está sempre em nossas mãos: se nos propusermos a descobrir que memórias traumáticas estão nos impedindo de viver nossos sonhos, estaremos dando um passo na direção do nosso sucesso e da nossa saúde emocional. Que tal tentar? Chegou aquela hora do ano em que repensamos o que passou e começamos a planejar o que faremos diferente. Mas, se continuarmos sendo silenciosamente guiados por nossas memórias de dor, mesmo aquelas que estão gravadas no corpo e de que não temos lembrança, ou por nossas crenças limitantes, nada vai mudar, certo?

Como assim, memórias de que não lembramos?

Quando passamos por uma situação muito grave, de muito sofrimento, traumática, ou quando temos um trauma físico, como uma dor aguda ou um problema grave, ou quando tomamos medicamentos muito fortes, que trazem a cura, mas que também tem muitos efeitos colaterais, muitas vezes criamos memórias que não são gravadas na mente consciente. Muitas vezes, são gravadas nas células do corpo! Isso significa que temos, em determinados lugares do nosso organismo, que foram previamente mapeados pelos criadores da Microfisioterapia, em anos de estudo, tecidos que contém nossas memórias traumáticas. Sem que tenhamos nenhuma consciência disso, essas memórias fazem parte das nossas decisões. Imagine que você, um dia, levou um tombo e se machucou muito feito. Você era criança, ok? Depois da cura física, geralmente guardamos uma memória suave sobre o fato. É como se nós esquecêssemos a dor. Bem, na memória consciente, nós a esquecemos, sim, e isso é uma defesa do nosso corpo e da nossa mente. Sem a memória forte do fato, seguimos em frente. Entretanto, as memórias traumáticas dessa ocasião, provavelmente, ficaram gravadas em nosso organismo. E podemos, por isso, desenvolver fobias, alergias, dores crônicas, não exatamente no mesmo local, por isso, muitas vezes, não conectamos essas sensações ao fato.

E como mudar esse panorama de dor e de limites?

Com a Microfisioterapia, conseguimos encontrar essas memórias, entender onde elas foram gravadas em nossos tecidos, e avisar ao corpo de que ele pode eliminar essas células impregnadas de sofrimento, trocando os tecidos por novos. Afinal de contas, fazemos isso todos os dias, certo? Nosso corpo se renova constantemente, só temos que mostrar a ele que aquele tecido precisa ser trocado com urgência. E deixamos que ele faça o trabalho. Muitas vezes, em uma primeira sessão, já conseguimos sentir melhora. Menos dores, menos limites, melhor sono, melhora na rotina. O tratamento inteiro prevê de duas a quatro sessões com intervalos de 45 a 60 dias. Sim, nosso organismo precisa de tempo para se recuperar! Entender nossos limites pode ser o melhor presente de ano novo. Pode ser nosso melhor pedido para que 2019 seja um ano de sucesso e realizações. O que você está esperando para construir um tempo melhor?

O que te limita?

O que te limita?

Você já se fez essa pergunta hoje? O que te limita, o que te impede de ir além?

A grande maioria das nossas limitações são auto impostas, você sabia? Acreditamos, seja por nós mesmos, por experiências passadas, por crenças limitantes, por um sistema familiar, que não vamos conseguir realizar algo, e passamos uma vida inteira sem tentar. A pergunta a se fazer é: o que te limita? O que impede de tentar o novo, de colocar metas mais ousadas, de mudar a rota, se for o caso? Se questionar é o primeiro passo para a mudança. Toda transformação começa dentro, no modo de pensar e sentir o mundo. Aquilo que acreditamos, assim é. Ou seja, se temos por princípio de que não podemos tentar algo diferente, se o conhecido nos parece mais seguro, tudo que for diferente realmente nos trará riscos. A mente está sempre tentando confirmar suas teorias, por mais irreais que elas sejam.

O contrário também é real, não há limites

Da mesma forma, se você acredita que pode tudo, certamente atrairá situações para comprovar essa tese! OU seja, você realmente vai conseguir o que deseja. Essa é a resposta para tanta diferença de atitudes, vida e resultados no mundo. Aquilo que cremos se torna a nossa realidade. E, claro, não podemos esquecer que nascemos sob um sistema de crenças familiar, ou seja, quando nascemos sem poder tudo, essa certamente era a crença de nossos antepassados. A boa notícia é que há sempre um ponto de ruptura. Você pode ter chegado exatamente para mudar a curva dessa estrada e fazer diferente daqui para a frente. Não só para você, mas para todos que virão depois. E como fazer isso? Como saber se é ou não verdade aquilo que pensamos? Se questione! O que te limita é real? O que efetivamente te impede de tentar algo diferente? Questione seus motivos, veja se eles realmente procedem ou se são apenas desculpa para aprovar sua própria auto sabotagem. E lembre-se: tudo é possível, até que você mesmo duvide!

O trabalho da Biointegral Saúde e a transformação das crenças limitantes

O trabalho da Biointegral Saúde e a transformação das crenças limitantes

Sabe para que a gente trabalha? Para que nossos pacientes tenham vidas mais plenas e cheias de significado. Para isso, nós encontramos e quebramos crenças limitantes. No fundo, são elas as grandes vilãs das nossas vidas.

As crenças limitantes são as grandes vilãs das nossas vidas. Nós não atingimos nossas metas porque simplesmente não acreditamos que somos capazes. Como? Deixa eu te mostrar:
  1. Quando você era pequeno, te ensinaram que dinheiro era sujo. “Não coloca a mão nisso, menino!”. Você certamente ouviu essa frase. Se dinheiro é sujo, para que eu devo deseja-lo? Mesmo eu querendo coisas e experiências que o dinheiro pode comprar, a crença de que ele é sujo mora lá no meu inconsciente e, para manter a minha vida mais limpa, melhor eu ficar sem ele. As dívidas me purificam, pois me impedem de acumular o que é “sujo”.
  2. Depois, alguém vira pra você e fala que é preciso “vencer” na vida, que o dia a dia é uma “luta” e que só os “mais fortes” chegam à vitória. Imagine isso na mente de um menino ou menina pequeno/a, que nem consegue se imaginar “duelando com os fortes”. Então, para vencer essa luta que é a vida e ser um vitorioso, eu preciso ser melhor que os outros, mais forte, ver cada um como meu adversário. Ao invés de cooperação, eu desenvolvo a disputa e baseio toda a minha vida em ser melhor ou maior do que alguém.
  3. “Não fala isso, o que os outros vão pensar!”. Muitos de nós também ouviram essa frase quando crianças. O que os outros pensam sobre nós importa, então eu preciso agir para que os outros me aceitem e me aprovem, mesmo que seja diferente do que eu mesmo desejo ou sinto que é melhor para mim. E crescemos com um medo reprimido de não sermos aceitos, de não agradarmos, de não sermos bons o suficiente e com medo do que os outros irão pensar a nosso respeito.
Eu poderia fazer uma lista enorme e talvez ela não tivesse fim. Isso porque, a cada dia, novas crenças podem ser criadas, moldadas no nosso inconsciente e podem começar a redirecionar as nossas vidas. Não somos tudo que desejamos porque nos limitamos, a grande maioria das vezes por crenças impostas, socialmente ou no âmbito familiar. E como não temos conhecimento disso, seguimos sendo guiados e sem entender porque não temos a vida que conscientemente desejamos. É aí que entra o nosso trabalho. Por meio de várias ferramentas, nós descobrimos quais são esses bloqueios físicos e emocionais, e ensinamos o cérebro e o organismo a eliminá-los. Eles já não servem mais. A vida é plena, cheia de oportunidades e você pode, sim, tudo que quiser. Desde que comece a viver para si mesmo, com as suas próprias crenças, seu modo único de ver o mundo e de forma livre, sem amarras emocionais. Quer saber como? Entre em contato com a gente! Sergio Bastos Jr

Você está usando todo o seu potencial?

Você está usando todo o seu potencial?

Viver uma vida saudável e cheia de oportunidades sempre depende de quanto estamos usando nosso potencial. O seu pode estar escondido atrás de traumas, dores, crenças limitantes. Já pensou nisso?

Você está usando todo o seu potencial? E por potencial entenda suas qualidades, seus talentos, seu poder de escolha. Quantas vezes percebemos só depois que podíamos ter feito algo diferente, mas que nos deixamos levar por inúmeros fatores, como traumas, problemas (como dores, doenças), crenças limitantes, e não nos permitimos decidir ou optar livremente. Mas, como saber se temos algo nos limitando? Alguns aspectos são facilmente detectados, por terapias, testes, mas existem fatores que estão escondidos, literalmente, no corpo. São traumas gravados nas memórias celulares e a Microfisioterapia pode ajudar a desvendar esses segredos. Usar nosso potencial máximo pode ser a melhor definição de felicidade, pois com essa capacidade vem a certeza de que fizemos nosso melhor, independentemente dos resultados. O arrependimento e a culpa podem ser nossos maiores algozes, dependendo da situação. Quem nunca se pegou pensando: “por que não fiz o que eu realmente queria?”. Às vezes, não temos essa resposta, porque os fatores são muito interiores. Já atendi pacientes que tinham dificuldade para tomar decisões e achavam que essa era uma característica pessoal, apenas. Então, aceitavam que tinha que ser assim. Mas a descoberta de traumas cuja memória não estava na mente consciente, e sim escondidos nos tecidos celulares do corpo os ajudou a perceber que as escolhas não eram desprovidas de história, e que acabam sendo direcionadas por medo de sofrer novamente o que o organismo já havia sentido antes. Difícil de entender? É só pensar que mesmo as lembranças que esquecemos, ou seja, que são apagadas da mente, mas que nos trouxeram emoções fortes e nos marcaram desde a concepção, ficam registradas em lugares determinados do corpo e a Microfisioterapia ajuda a encontrar esses registros. Talvez você não seja livre para escolher. Talvez você não esteja utilizando todo o seu potencial de vida. Que tal começar a descobrir? Sergio Bastos Jr

Você está vivendo a sua verdade?

Você está vivendo a sua verdade?

Sabe aquela pessoa que segue propagando um discurso que não é seu, vivendo por crenças que não construiu e sendo direcionadas por medos que não experienciou? Não seja essa pessoa!

Uma pergunta simples e direta: você está vivendo sua verdade? Tudo que você pensa, fala e faz é consciente e direcionado por crenças e experiências que são mesmo suas? Pare um minuto para pensar antes de responder. Porque, no automático, normalmente, a resposta será sim. Mas será mesmo? Vamos fazer um exame de consciência, juntos: a profissão que você escolheu, era mesmo a que você desejava? Você, hoje, é alguém que imaginava ser quando criança? Se você tem medos, e obviamente tem, eles são seus mesmos ou foram ensinados por seus pais ou mesmo pelo grupo social em que você está inserido? É certo que começar a fazer esse tipo de questionamento leva a inúmeros outros e esse é, sem dúvida, um caminho sem volta. Quando percebemos que uma verdade já soa falsa, somos impulsionados a buscar outras “mentiras” que direcionam as nossas vidas. Muito se fala, hoje, em crenças limitantes. Nem todas as crenças nos limitam, mas especialmente essas, muitas vezes, não são nossas, foram impostas socialmente, hereditariamente, e seguem existindo porque, por gerações, não foram questionadas.

Nosso corpo é o mapa da cura!

Nosso corpo é o mapa da cura!

Pode ser que ele, hoje, seja visto como a fonte das suas dores. Mas o seu corpo é um mapa para alcançar a cura desse mal-estar. Cuide bem dele!

Apesar de carregar nossas dores e doenças, nosso corpo é um mapa da cura e deve ser bem tratado, física e psicologicamente. Por muito tempo, acreditamos que a inteligência e a memória viviam apenas no cérebro, e que o corpo somente respondia a estímulos. Talvez, inclusive, venha daí todo o preconceito, todo tabu com relação ao corpo, esse veículo incrível que nos permite a vida. Hoje, sabemos que o corpo também carrega memórias responsáveis por muitos traumas, crenças limitantes, dores e doenças. Especialmente as crônicas. Mas, saber disso mudou nossa forma de lidar com o corpo?

Essa discussão é mais do que saudável, é necessária: como você vê o seu corpo? Sabemos que a relação que se tem com o corpo é pautada pelo meio social, familiar e pela nossa própria forma de ver o mundo. Para muitos, o corpo é uma ferramenta – de trabalho, de performance, de equilíbrio. Para outros – é o meio que permite a agressão, a dor, o abuso. Ambos são legítimos, são verdadeiros porque refletem histórias de vida, educação, experiências. Mas sabemos que existe uma forma mais saudável de lidar com o corpo, em ambos os casos.

Pense em um atleta que não tem a estrutura física que seu esporte exige. A relação com o corpo, nesse caso, será sempre de buscar resultados impossíveis, e de constante fracasso. Agora imagine uma pessoa que foi abusada fisicamente. Mesmo que ela não lembre, por um esquecimento voluntário ou mesmo por uma questão de idade, seu relacionamento com o corpo certamente será algo perto da repulsa, ou talvez do medo, já que ele pode ser visto como o meio que permitiu a agressão.

Da mesma forma, algumas pessoas carregam mágoa, causada por não se sentirem inseridas em um modelo considerado ideal de corpo pela sociedade em que vivem.  Triste, não é mesmo? Ter tantos estímulos de fora que impedem a total liberdade de ser, que barram a alegria e o bem-estar emocional. E mais: que colocam no corpo, nosso companheiro de jornada, a “culpa” por insatisfações e tristezas.

Acredite, o corpo é, na verdade, o verdadeiro mapa da cura. Entendendo suas limitações, buscando a causa de dores e doenças, vamos compreendendo nossa personalidade, encontrando soluções para os problemas que enfrentamos e criando uma relação mais saudável. Ao invés de ver seu corpo como um causador da sua tristeza ou insatisfação, veja como um aliado. É ele quem carrega sua história, e é nele que as mudanças podem e devem ser feitas!

Quer saber como? Mande um email para contato@biointegralsaude.com.br

Maternidade e crenças limitantes

Maternidade e crenças limitantes

Estamos prestes a comemorar mais um Dia das Mães, uma data criada para o comércio, mas que pode trazer uma ótima reflexão: qual a relação da maternidade com as crenças limitantes?

O assunto que envolve a maternidade e as crenças limitantes precisa deixar de ser um Tabu. A não ser que busquemos nossa própria verdade, trabalhemos nossa psique e encontremos formas muito genuínas de nos relacionarmos, estaremos, inevitavelmente, reproduzindo comportamentos que nos foram passados por herança, seja ela genética, educacional ou social. Quantas vezes você, que é mãe, se pegou reproduzindo um comportamento que, antes, condenava? Isso acontece mais do que você imagina. Antes de se desesperar, a boa notícia: você pode encontrar as causas do seu comportamento, caso seja algo que você não concorde ou que esteja atrapalhando seu relacionamento com seus filhos e a sua forma de educar. Por meio dessa busca de razões, é possível determinar com o que realmente você se identifica, no que acredita como mãe e que tipo de pessoas você quer ajudar a formar para o futuro. A maternidade vai além de simplesmente colocar um filho no mundo. Ela prescinde de uma fortaleza de alma, de uma presença doce, mas forte, de um direcionamento e um comportamento que sejam saudáveis e que possam servir de base para que as crianças e adolescentes de hoje sejam adultos saudáveis no amanhã. E o que vemos, muitas vezes, é exatamente o contrário: pais e mães reproduzindo comportamentos traumáticos ou mesmo descontando nos filhos as próprias lacunas que trazem no coração e na mente. Quando crianças, somos extremamente suscetíveis a tudo. Uma bronca pode ser traduzida como rispidez excessiva. Um afastamento temporário pode ser considerado um abandono. Uma mãe que trabalha fora pode ser vista como uma pessoa ausente, enquanto a verdade é outra, mas a criança entende o que sente. Entender quem você é como pessoa, o que te feriu, e ainda fere, e de que forma você aprendeu, ao longo da vida, a lidar com essas emoções, pode ser fundamental para que seus filhos tenham uma mente e uma emoção também saudáveis. O que a gente pode fazer por você? Com as várias técnicas que usamos aqui na Biointegral Saúde, como a Microfisioterapia e o PSYCH-K, podemos ajudar você e a descobrir traumas, memórias e crenças limitantes, e fazer com que sua mente e corpo consigam eliminar essas travas que impedem que você seja sua melhor versão, de pessoa e mãe!